Seja muito bem-vindo ao nosso Sindicato   •     •   TaubatÉ / SP
 
     
 

SEU BANCO - FINANCEIRAS

31/05/2012

Queda da Selic é positiva, mas bancos precisam de fato baixar juros e spread

A Contraf-CUT considera um avanço importante o corte de mais 0,5% na taxa básica de juros, conforme decisão do Copom nesta quarta-feira (30), mantendo a trajetória descendente da Selic, que atingiu o menor patamar da sua história (8,5% ao ano).

 

"No entanto, é necessário reduzir ainda mais a Selic, de forma a aproximá-la dos nà­veis internacionais, e é inadiável forçar o sistema financeiro nacional a baixar de verdade as altas taxas de juros, o spread e as tarifas", avalia Carlos Cordeiro, presidente da Contraf-CUT.

"Embora todos os grandes bancos, pressionados pelo governo, tenham anunciado reduções nas taxas de juros, e usem isso até em suas campanhas de marketing, a verdade é que o crédito mais barato não chegou na ponta do consumidor, que continua pagando como antes os mais altos juros e spreads do mundo. Pior ainda, alguns bancos estão aumentando ainda mais as tarifas a pretexto de compensar a queda dos juros", critica o dirigente sindical.

"Há uma ausência total de transparência por parte dos bancos", denuncia ainda Carlos Cordeiro. "As reduções ocorrem em apenas algumas linhas de crédito, com tantas condicionantes impostas, que excluem a grande maioria dos clientes. Além disso, cada instituição usa nomenclaturas diferentes para seus produtos e serviços, o que impede comparações e a competição. Ou seja, os bancos estão enganando a população", alerta.

Conferência Nacional do Sistema Financeiro

Para Carlos Cordeiro, é preciso que o governo e as autoridades monetárias tomem medidas mais efetivas para que o barateamento do crédito chegue de fato à produção e ao consumo. Ele também defende a participação da sociedade nessa discussão.

"O crédito é estratégico para o desenvolvimento econômico e social do país e os bancos são concessões públicas. É urgente que o governo convoque uma conferência nacional do sistema financeiro, para que a sociedade possa discutir e definir qual o papel dos bancos na economia", defende o sindicalista.

Na avaliação do presidente da Contraf-CUT, esse tema ganhou ainda mais urgência e relevância com as notícias divulgadas na imprensa de que o Santander Brasil estaria negociando uma fusão com outras instituições financeiras.

"Se isso ocorrer, aumentará ainda mais a concentração bancária no Brasil, onde mais de 80% dos ativos e das operações de crédito estão nas mãos apenas dos cinco maiores bancos. Essa concentração é prejudicial à economia brasileira, pois a existência de cartel impede a redução de fato das taxas de juros e da concorrência", aponta.

"Tudo isso precisa ser discutido amplamente pela sociedade, numa conferência nacional, a exemplo das já realizadas sobre saúde, educação, segurança pública e comunicação, dentre outras", conclui Carlos Cordeiro.

 

 

Postado pela Assessoria de Imprensa: 31/05/2012

Fonte: Contraf-CUT

•  Veja outras informações
 
         
         
 
SINDICATO DOS BANCÁRIOS E FINANCIÁRIOS DE TAUBATÉ E REGIÃO
E-mail: contato@bancariotaubate.com.br    •    Telefone: (12) 3633-5329  /  (12) 3633-5366    •    WhatsApp: (12) 99177-4205
Filiado à CUT, CONTRAF e FETEC