Seja muito bem-vindo ao nosso Sindicato   •     •   TaubatÉ / SP
 
     
 

SEU BANCO - CAIXA FEDERAL

29/01/2016

Protesto em todo país contra PLS 555

O Comitê em Defesa das Estatais definiu o 3 de fevereiro como Dia Nacional de Luta contra o Projeto de Lei do Senado 555 (PLS 555/2015). Nessa data, o chamado Estatuto das Estatais pode ser votado e o objetivo é pressionar os senadores para que o rejeitem.

Como "esquenta" do ato, representantes de diversas categorias farão uma "recepção" aos parlamentares no aeroporto de Brasíl­ia e no Congresso Nacional na terça 2, quando termina o recesso.


Envie e-mails para cobrar os senadores

As manifestações foram definidas no seminário sobre o PLS 555 realizado na quarta 27 com a participação de bancários, petroleiros, portuários, urbanitários, comerciários, metroviários, entre outras categorias profissionais. O consenso é que o PLS é um dos maiores ataques já vistos às empresas públicas.

No seminário, o diretor do Dest (Departamento de Coordenação e Governança das Empresas Estatais), ligado ao Ministério do Planejamento, Murilo Barella, afirmou que o momento é seríssimo. "O que está sendo proposto por meio desse texto é uma mudança de modelo de Estado. Vários itens incorporados tratam de questões relativas a servidores de caráter estatutário, e deveriam ser regulados em outra legislação e não num único projeto. Conversei com o senador Tasso Jereissati sobre isso e não vi grandes esperanças. O circo está armado. Precisamos de uma mobilização forte agora, caso contrário teremos muito a perder", destacou.

O diretor citou alguns exemplos, como a Caixa Federal, gestora do programa Bolsa Famíl­ia. Segundo Barella, caso esse PLS seja aprovado, ou a Caixa abrirá uma subsidiária para fazer a gestão do programa, ou terá de separar várias das suas agências especificamente para o Bolsa Famíl­ia. "Isso acarretará em uma mudança da lógica administrativa da Caixa e custos altíssimos", reclamou.

De acordo com a representante dos empregados no Conselho de Administração da Caixa, Maria Rita Serrano, é essencial aumentar a atuação sindical. "Devido à pressão dos trabalhadores, o Ministério do Planejamento já se manifestou apresentando uma posição firme contra o PLS 555. Mas isso não é suficiente, a gente tem de solidificar ainda mais o movimento e ampliar a luta."

Patrimônio em risco " O PLS 555 é junção dos PLSs 167 e 343 " cujos autores são, respectivamente, os senadores tucanos Tasso Jereissati e Aécio Neves " e do anteprojeto apresentado pelos presidentes da Câmara, Eduardo Cunha, e do Senado, Renan Calheiros, ambos do PMDB.

Determina que empresas 100% públicas como a Caixa, Correios e BNDES tornem-se sociedades anônimas. Além disso, interfere na gestão de empresas de economia mista como Banco do Brasil e Petrobras, ao limitar investimentos e vetar a participação de pessoas ligadas a partidos ou sindicatos (isso inclui os trabalhadores sindicalizados) nos conselhos de administração.

Leia mais
> Pressão contra o PLS 555 tem de aumentar


Fonte: Seeb SP,  Rede Brasil Atual e CUT " 29/1/2016

•  Veja outras informações
 
         
         
 
SINDICATO DOS BANCÁRIOS E FINANCIÁRIOS DE TAUBATÉ E REGIÃO
E-mail: contato@bancariotaubate.com.br    •    Telefone: (12) 3633-5329  /  (12) 3633-5366    •    WhatsApp: (12) 99177-4205
Filiado à CUT, CONTRAF e FETEC